25
Set
07

Esterilizados por pesticidas buscam justiça

O segredo do modelo nórdico:
Esterilizados por pesticidas buscam justiça

Stephen Leahy

BROOKLIN, 20/01/2005(IPS) – A demanda interposta em outubro por milhares de trabalhadores bananeiros na Costa Rica contra companhias dos Estados Unidos é a mais recente de uma infrutífera série de denúncias sobre o uso do nemagón na América Central, um pesticida com potencial cancerígeno e que causa esterilização. O pedido de indenização foi apresentado em um tribunal de Los Angeles contra as empresas químicas Shell Chemical e Dow Chemical, junto com as empresas de banana Dole Food, Chiquita Brands e Fresh Del Monte. A Shell Chemical é uma filial do grupo britânico-holandês Royal Dutch/Shell e a Fresh Del Monte é propriedade da família palestina Abu Ghazaleh. As restantes são norte-americanas.

Conhecido pelos nomes comerciais de nemagón e fumazone, o dibromocloropropano (DBCP) continuou sendo utilizado em plantações centro-americanas de banana após ter seu uso proibido nos Estados Unidos, em 1979. Esse produto é considerado responsável por provocar, ao ser inalado ou absorvido pela pele, esterilidade, atrofia de testículos, abortos, alterações fetais, problemas no fígado e câncer, segundo a queixa apresentada pelos advogados Walter Lack e Tom Girardi, de Los Angeles. Os demandantes pedem indenizações por “atos temerários e gratuitos” e por “conduta mal-intencionada e intolerável”.


1 Response to “Esterilizados por pesticidas buscam justiça”


  1. 1 Nilton José dos Reis Rocha
    Julho 24, 2011 às 1:43 pm

    Em 1991, estive, com um advogado salvadorenho que vivia na Costa Rica, em uma região de bananais. Segundo ele, que havia sido Procurador de Justiça em El Salvador, antes do último golpe militar, além da esterilização ,muitas crianças estavam nascendo sem cérebro. A Dow Chemical havia perdido ações para trabalhadores americanos, em função desse tipo de contágio no manuseio dos pesticidas na industria. Mas a justiça americana se recusava, naquela data, considerar as ações, por ele impetradas, dos trabalhadores dos bananais da Costa Rica. Agora, em Lucas do Rio Verde, Mato Grosso, os agrotóxicos apareceram no leite materno de 62 mulheres. O agronegócio ,pelo visto, mata se correr solto como o governo federal, mesmo com Lula e Dilma, está permitindo. Duro!


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: