23
Out
07

Milionário esforço para estudar o degelo polar

Em março terá início o Ano Polar Internacional, quando 50 mil cientistas esquadrinharão o impacto da mudança climática nos pólos. O Canadá é o maior contribuinte desse programa, com US$ 160 milhões.polar-bear-and-cub-swiming.jpg

TORONTO, 15 de janeiro (Tierramérica).- O recente colapso de uma plataforma de gelo do Ártico canadense ilustra porque o Canadá é o principal contribuinte do Ano Polar Internacional, um dos maiores programas de investigação científica do mundo, focado na mudança climática. Mais de 60 nações – do Chile à China – e 50 mil cientistas e pesquisadores estarão envolvidos no quarto Ano Polar Internacional (IPY, sigla em inglês), que, na realidade, é um biênio que se estenderá de 1º de março deste ano a 1º de março de 2009.

Há pouco, cientistas canadenses informaram sobre o colapso da barreira de gelo Ayles, com idade entre três mil e 4,5 mil anos e uma das seis que restam no Canadá. Com 66 quilômetros quadrados e 44 metros de espessura, essa nova ilha de gelo é pequena comparada com as gigantes barreiras geladas antárticas, como a Larsen B, de 2,7 mil quilômetros quadrados, que se desprendeu em 2002. Entretanto, seu colapso é o maior em 25 anos. As barreiras geladas do  estão se desfazendo em pedaços silenciosamente, e são 90% menores em relação ao que eram há cem anos.

O IPY estudará as regiões ártica e antártica, com ênfase nos efeitos do aquecimento global, provocado pelos gases causadores do efeito estufa, contando com investimento de US$ 500 milhões, dos quais US$ 160 milhões procedentes do Canadá. “As mudanças nas regiões polares estão se acelerando. Estas zonas são as primeiras a sofrer os impactos da mudança climática, e é importante saber o que está acontecendo para nos adaptarmos”, disse ao Terramérica o biólogo David Hik, presidente do IPY Canadá. “Há uma previsão de que dentro de 40 anos poderá haver um Ártico sem gelo durante os meses de verão, o que causará impacto na região e em seus habitantes”, assegurou.

“O sistema climático global é um balanço entre as regiões frias e as quentes do planeta”, explicou ao Terramérica David Carlson, diretor do Escritório do Programa do Ano Polar Internacional, em uma entrevista, da cidade britânica de Cambridge. As mudanças nas regiões frias afetam modelos climáticos globais que têm um forte impacto no restante do planeta, acrescentou. O último esforço internacional importante para estudar as regiões mais frias do mundo aconteceu há 50 anos e se chamou Ano Geofísico Internacional. Consistiu em uma histórica colaboração científica que envolveu 57 nações. E os dados que produziu ainda são usados atualmente.

Essa foi uma era de exploração e descobertas de regiões remotas e proibidas que haviam mudado pouco em milhões de anos. Hoje, os cientistas do IPY consideram urgente compreender os vínculos entre o mutante gelo polar, os oceanos e o permafrost com o resto do planeta, devido aos impactos potencialmente maciços, disse Carlson. Por isso, também participam do IPY países não-polares, como China e Malásia. Como este é o maior projeto científico internacional dos últimos 50 anos, representará uma grande oportunidade para a colaboração científica.

O Ano Polar é organizado pelo Conselho Internacional de Ciência e pela Organização Meteorológica Mundial, sob patrocínio do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente. Também há muito interesse público, como resultado da ampla atenção que a imprensa deu aos ursos polares, pingüins e à mudança climática. Um interesse que continuará nas próximas semanas, com a iminente divulgação do Quarto Informe de Avaliação do Painel Intergovernamental sobre Mudança Climática. Produto de seis anos de estudos dos 2,5 mil cientistas de 130 nações, o documento incluirá nova informação sobre as modificações do gelo polar.

Milionário esforço para estudar o degelo polar


0 Responses to “Milionário esforço para estudar o degelo polar”



  1. Deixe um Comentário

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: