23
Jun
08

As espécies na Internet

Stephen Leahy

Toronto, 03/03/2008(IPS) – O projeto Enciclopédia da Vida pretende colocar na Internet informações sobre as 1,8 milhões de espécies do planeta, e na semana passa já divulgou os dados sobre 30 mil, que incluem seu habitat, ciclo de vida e fotografias.

O diretor-executivo da enciclopédia da Vida (EOL), James Edward, disse que o serviço oferecerá informação científica que poderá satisfazer tanto a curiosidade de um aluno de escola primária quanto as necessidades de um pesquisador universitário. O projeto tem sua sede no Instituto Smithsoniano de Washington.

A página da Internet dedicada a cada espécie permitirá ao visitante escolher a quantidade de informação que deseja. Há à sua disposição uma ampla gama de detalhes, incluindo links com mais de um milhão de sites com dados científicos que normalmente apenas estão disponíveis nos 10 grandes museus de história natural do mundo industrializado. “Agora, qualquer pessoa pode consultá-los gratuitamente, sem importar onde se encontra”, disse Edward. No momento, qualquer pessoa que leia inglês. “Temos a esperança de contar com traduções para outros idiomas”, acrescentou.

Em pouco tempo haverá edições regionais, EOL Colômbia ou EOL Holanda, com informação em espanhol e holandês preparada por especialistas locais. Ao contrário das enciclopédias tradicionais, a EOL será interativa e permanentemente atualizada. Tem o potencial de se converter em uma poderosa ferramenta de pesquisa. Se o público participar, poderá servir para rastrear a resposta das espécies à mudança climática. Em todo o mundo, seus habitats estão sendo alterados de maneira drástica, forçando as aves a migrarem de forma antecipada ou se tornando muito secos ou quentes para certas plantas. Não existe possibilidade de a comunidade científica ter condições de seguir o ritmo dessas mudanças.

A única forma é através de informação fornecida por pessoas que não são cientistas e que podem consultar a EOL para verificar possíveis alterações. “Se alguém no Equador encontra uma rã que jamais vira antes, pode consultar a enciclopédia para saber se é local ou de um país vizinho, ou, ainda, se é uma nova espécie”, disse o diretor do Museu de Zoologia Comparada da Universidade de Harvard e presidente do comitê de direção da EOL, James Hanken. Muitas espécies se extinguem antes que possam ser identificadas, mas com a enciclopédia será mais fácil registrá-las, acrescentou.

Dentro de poucos meses, os especialistas estarão felizes em receber fotos, vídeos ou textos com as observações do público. Serão verificadas e, se tiverem dados úteis, incorporadas à EOL. Os responsáveis pela enciclopédia querem que os leitores os informem sobre o que pensam da EOL tal como se encontra agora. São bem-vindas as idéias e sugestões sobre todos seus aspectos, desde a estrutura da pagina ate a cor da tipografia. A enciclopédia permitirá identificar padrões não vistos até o momento e servirá para determinar lacunas no conhecimento.

Trata-se de uma ferramenta que possibilitará traçar um mapa da distribuição de vetores de doenças, como corvos e mosquitos. O tempo de vida das espécies relacionadas poderá ser comparado para entender o que determina a longevidade. Devido à misteriosa redução na população de abelhas, a EOL pode identificar polinizadores alternativos. Alem disso, ajudará a revolucionar o ensino e aprendizado das ciências da vida, algo que é necessário com urgência.

As espécies na Internet


0 Responses to “As espécies na Internet”



  1. Deixe um Comentário

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: