Archive Page 2

03
Dez
08

Fornecedores de multinacionais aceitam medir emissões

global-nightStephen Leahy

Johannesburgo, 02/05/2008, (IPS) – Cada vez mais companhias fornecedoras de algumas das maiores multinacionais estão aceitando medir e informar sobre suas emissões de gases causadores do efeito estufa, responsáveis pelo aquecimento global.

Muitas “empresas, incluindo as de países menos industrializados, estão preocupadas com os riscos do clima extremo, a escassez de água e com tudo o que representa a mudança climática”, disse Paul Dickinson, diretor-geral da Carbnon Disclosure Project(CDP), organização independente sem fins lucrativos com sede na Grã-Bretanha e que coordena esse esforço.

Multinacionais como Tesco e Unilever talvez não liberem grandes quantidades desses gases em suas instalações, mas seus fornecedores – que são milhares e estão em todo o mundo – sem dúvida, sim. Seria bobagem fingir que estes não são parte das marcas de carbonoi (quantidade de emissões na cadeia de produção) de uma corporação, disse Dickinson à IPS. O CDP é uma iniciativa que coordena ações entre 385 investidores institucionais, com ações no valor de US$ 57 bilhões, que solicitam às 500 principais empresas do mundo que revelem informação sobre suas emissões de gases que provocam o efeito estufa. Continue a ler ‘Fornecedores de multinacionais aceitam medir emissões’

Anúncios
18
Nov
08

DESENVOLVIMENTO: Reinventar a Agricultura>

stanford-food-security-banner-smlStephen Leahy

JOANESBURGO, 18 de Abril, (IPS) – Os resultados de uma meticulosa análise da agricultura mundial foram apresentados formalmente na terça-feira com a divulgação do relatório final sobre a Avaliação Internacional das Ciências Agrícolas e da Tecnologia para o Desenvolvimento (IAASTD, na sigla inglesa).

A avaliação examinou a forma como se pode reinventar a agricultura para alimentar a população mundial em expansão de forma sustentável numa época de múltiplos desafios — para não falar dos desafios colocados pelas alterações climáticas e por uma crescente crise alimentar que tem levado a eclosões de violência em diversos países em desenvolvimento.

A competência técnica de cerca de 400 cientistas e de outros especialistas foi canalizada para o IAASTD; os Governos de países ricos e em desenvolvimento também contribuíram para esta avaliação, assim como a sociedade civil e o sector privado. Continue a ler ‘DESENVOLVIMENTO: Reinventar a Agricultura>’

18
Nov
08

A Produtividade Agrícola Aumenta Enquanto se Reduz a Pegada Ecológica

Entrevista com Robert Watson robert-waston-iisd-photo

JOANESBURGO, 18 de Abril, (IPS) – Nos últimos anos, Robert Watson tem tido aquilo a que se pode chamar uma das tarefas mais difíceis do mundo: dirigir uma iniciativa que visa ajudar a agricultura lidar com os grandes desafios que enfrenta neste momento, e também os obstáculos ainda maiores que se avizinham

A Avaliação Internacional das Ciências Agrícolas e da Tecnologia para o Desenvolvimento (IAASTD, na sigla inglesa), que durou três anos, procurou avaliar os conhecimentos agrícolas generalizados, com o auxílio de governos, sociedade civil, sector privado, e centenas de peritos.

Watson iniciou o projecto quando era cientista-chefe no Banco Mundial; actualmente, é o director do IAASTD – e também cientista-chefe no Departamento do Meio Ambiente e Agricultura britânico.

As conclusões da avaliação foram apresentadas formalmente na terça-feira, depois de terem sido analisadas numa plenária intergovernamental realizada em Joanesburgo, África do Sul, entre 7 e 12 de Abril. O correspondente da IPS para o meio ambiente, Stephen Leahy, falou com Watson nesta reunião sobre o histórico IAASTD.

IPS: Qual é a importância das conclusões do IAASTD sobre a segurança alimentar mundial?

Robert Watson (RW): A importância dessas conclusões é o facto de, pela primeira vez, governos dos países desenvolvidos e em desenvolvimento, sociedade civil, autores científicos das ciências naturais e sociais, terem trabalhado em conjunto para responder ao problema crucial de como obter alimentos acessíveis e nutritivos de forma que seja sustentável do ponto de vista ambiental e social. Continue a ler ‘A Produtividade Agrícola Aumenta Enquanto se Reduz a Pegada Ecológica’

18
Nov
08

Como aumentar a produção agrícola sem prejudicar o meio ambiente

Stephen Leahy

Johannesburgo, 16/04/2008, (IPS) – Nos últimos anos, Robert Watson teve um dos trabalhos mais difíceis do mundo: ajudar governos e produtores que enfrentam os atuais desafios da agricultura e prepará-los para os que se avizinham, ainda piores.

Crédito: IISD

Robert Watson

A Avaliação Internacional do Conhecimento, da Ciência e da Tecnologia no Desenvolvimento Agrícola (IAASTD), que já consumiu três anos, procura avaliar os conhecimentos agrícolas com ajuda de governos, da sociedade civil, do setor privado e de centenas de especialistas.

Quando o projeto começou, Watson era o chefe de cientistas do Banco Mundial. Hoje desempenha ao mesmo tempo as tarefas de dirigir o IAASTD e a equipe de cientistas do Departamento de Meio Ambiente e Agricultura da Grã-Bretanha. Watson foi entrevistado da IPS.

IPS – Qual a importância da IAASTD para a segurança alimentar?

Robert Watson – Pela primeira vez, governos de países industriais e em desenvolvimento, a sociedade civil, especialistas em ciências naturais e sociais trabalharam juntos para discutir como obter alimentos accessíveis e nutritivos de maneira ambiental e socialmente sustentável. Continue a ler ‘Como aumentar a produção agrícola sem prejudicar o meio ambiente’

18
Nov
08

Pautas para a agricultura do século XXI

Stephen Leahy

Johannesburgo, 15/04/2008, (IPS) – A Avaliação Internacional do Conhecimento, da Ciência e da Tecnologia no Desenvolvimento Agrícola (IAASTD), apresentada ontem nesta cidade sul-africana, propõe reinventar a agricultura para alimentar do mundo.

Crédito: Manoocher Deghati/IRIN

O estudo, conhecido enquanto se tornam evidentes os efeitos da mudança climática e da crise alimentar em numerosos países, está dedicado a enfrentar os múltiplos desafios que implicam alimentar a crescente população mundial de maneira sustentável. Para a avaliação se recorreu ao conhecimento e à experiência de aproximadamente 400 cientistas e outros especialistas.

Do processo participaram delegados de nações do Norte industrializado e do Sul em desenvolvimento, organizações da sociedade civil e representantes do setor privado. Além disso, os cientistas integraram conhecimentos e práticas tradicionais em uma primeira tentativa de reunir todos os atores envolvidos na temática para examinar a questão da segurança alimentar. Os participantes realizaram cinco avaliações regionais e um informe adicional de síntese de 110 páginas. Continue a ler ‘Pautas para a agricultura do século XXI’

18
Nov
08

Outra revolução verde, porém melhor

org-food-kenya-sml

Stephen Leahy

Johannesburgo, 08/042008, (IPS) – Especialistas em agricultura que representam 60 governos exploram esta semana na cidade sul-africana de Johannesburgo caminhos para garantir a segurança alimentar mundial.

O plenário intergovernamental da Avaliação Internacional do Conhecimento, da Ciência e da Tecnologia no Desenvolvimento Agrícola (IAASTD), que começou ontem e vai até o próximo sábado, transcorre em um contexto de alta no preço dos alimentos e com centenas de milhões de pobres sofrendo com a fome em todo o mundo.

Em 2007, o preço do milho aumentou 31%, o da soja 87% e o do trigo 130%. As reservas de grãos estão em seu nível mais baixo e o estoque dos silos são suficientes para apenas 40 dias de abastecimento. A produção de alimentos deveria duplicar nos próximos 25 ou 50 anos para alimentar os três bilhões de habitantes que se somarão à população do planeta até 2050. “O problema de como alimentar o mundo não pode ser mais urgente”, ressaltou o diretor da IAASTD, Roberto Watson, chefe de cientistas do Departamento de Meio Ambiente a Agricultura da Grã-Bretanha. Continue a ler ‘Outra revolução verde, porém melhor’

27
Ago
08

MUDANÇA CLIMÁTICA: Agora ou nunca

Stephen Leahy 

Toronto, 07/04/2008, (IPS) – Nossos dedos estão colados no termostato planetário, aumentando a temperatura mais que nunca. A catástrofe climática já começou a dar uma nova forma à civilização humana. 

Secas, inundações, ondas de calor, tornados e furacões. Tudo isto que antes era produto exclusivo das forças da natureza agora se vê amplificado pelas enormes quantidades de calor adicional preso na atmosfera devido à queima de combustíveis fósseis, conforme alertam os cientistas. Essas calamidades já não estão distantes no tempo ou no espaço.

Dezenas de milhões de pessoas já foram afetadas por fenômenos climáticos não naturais extremos e violentos durante pelo menos as últimas duas décadas. As emissões anuais de dióxido de carbono são três vezes maiores hoje do que os anos 90. Mesmo se houvesse condição de fazer o impossível – parar todas as emissões – a temperatura global continuará aumentando desde os atuais 0,8 grau, em média, até entre 1,5 e 1,8 grau. E a temperatura média mundial permanecerá elevada durante os próximos 500 anos, porque os oceanos retêm o calor por muito tempo. Continue a ler ‘MUDANÇA CLIMÁTICA: Agora ou nunca’